Seminário Living Lab Biobased Brazil 2016

Publication date: 2016-11-07 03:15

Evento gratuito e aberto ao público acontece no dia 23/11 (quarta-feira) na UFMG, em Belo Horizonte. O Living Lab Biobased Brasil é uma parceria entre universidades mineiras e holandesas com foco em pesquisa aplicada nas áreas de Tecnologia da Água, Agro & Food, Química Verde, energia e sustentabilidade.

Living Lab é uma plataforma de educação e pesquisa aplicada onde estudantes de graduação, professores e pesquisadores de diversas universidades brasileiras e holandesas trabalham em conjunto com o objetivo de achar soluções para problemas reais. Para compartilhar as experiências obtidas, o Nuffic Neso Brazil em parceria com o Living Lab Biobased Economy, UFMG e Avans Hogeschool, organizam no dia 23 de novembro o Living Lab Biobased Seminar 2016

Gratuito e aberto ao público geral, o evento fornece a todos os participantes a oportunidade de discutir e compartilhar conhecimentos na área de bio-economia. Sediado na UFMG, o simpósio será um momento de discussão entre estudantes – holandeses e brasileiros - professores, empresas e stakeholders, acerca de temas relevantes na área de bicombustíveis e água. Os estudantes holandeses irão apresentar suas pesquisas realizadas no Brasil e um brunch irá finalizar o encontro para que todos possam conversar e iniciar parcerias e contatos de networking.

Confira a programação

Local e hora:
23 de novembro - 11h às 14h
UFMG - Belo Horizonte
Sala de Sessões – Prédio da Reitoria - UFMG
 
Programação
10h30: Recepção
 11h00: Abertura
 11h10: Palestrantes principais:
- Profº Jappe de Best
- Profª Isabel Fortes
 11h50: Apresentação de Pôsteres
12h05: Grupos de discussão
 12h45: Feedback e resultados das mesas de discussão
 13h00: Fechamento
 13h15: Network coffee break
 

Na mesa data, o Nuffic Neso Brazil realiza, também na UFMG, uma apresentação sobre as oportunidades de estudo e bolsas na Holanda. 

Living Lab Biobased Battle

Além do simpósio, o Living Lab Biobased busca ampliar a cooperação científica entre o Brasil e a Holanda e disseminar  o conhecimento através de diversas ações, como por exemplo o Living Lab Biobased Battle, desafio onde estudantes brasileiros e holandeses trabalham em conjunto em busca de soluções para problemas reais. Esse ano, o tema central foi "Como otimizar o processamento de grãos de café através do tratamento e reutilização dos resíduos gerados nas fazendas?". No total, 20 estudantes de cada país trabalharam em grupos com 4 componentes de diversas áreas de atuação, como química, engenharia química, engenharia ambiental, direito e economia e gestão.Como resultado, foram obtidas 10 soluções aplicáveis para a questão de pesquisa. O júri internacional avaliou cada uma delas em relação à adequação de critérios para o desafio, grau de inovação, potencial de mercado, impacto ambiental, viabilidade e apresentação.

A obtenção do ácido hidroxinâmico – substância com propriedades antioxidante, anticarcinogênica e anti-inflamatória – do rejeito do café foi o projeto vencedor. O trabalho envolveu dois estudantes da UFMG, Carolina Rettore, do curso de Engenharia Química, e Gabriel Jacintho, de Química Tecnológica, além dos holandeses Thijs Van Der Wiel e Stijin Van Hout e o espanhol Rafael Peris, matriculados na Universidade de Ciências Aplicadas Avans Hogeschool, da Holanda.  Segundo os vencedores, a experiência teve aprendizados tanto no âmbito acadêmico, como no pessoal. 

"Senti que aprendi mais sobre trabalhar em grupo e  aprendi a a fazer pesquisas técnicas, uma parte importante da minha futura carreira como engenheiro químico. Para vender a ideia do projeto eu fiz um pitch e amei essa oportunidade! Acho que pitching e trabalho em grupo são exemplos de coisas que você só aprende na prática e essas experiências me ajudaram ainda a desenvolver mais autoconfiança e a administrar o tempo. Além disso, pude aprender mais sobre intercâmbio,um assunto que tenho muito interesse. Eu pensei que a experiência seria  boa, mas foi ainda mais fantástica.Eu recomendo!" afirma Carolina Rettore, do curso de Engenharia Química da UFMG. 

"Como estudante de economia eu aprendi muito esta semana e com certeza participaria novamente do Biobased Battle!Trabalhar em conjunto com os estudantes brasileiros foi incrível. O nível dos estudantes era muito alto, todos com grande conhecimento sobre conversão de biomassa em produto, energia e afins. Os tutores também foram ótimos e nos deram valiosos conselhos essa semana"avalia David Husmain, aluno de Environmental Engineering da Avans. 

O que é o Living Lab Biobased Brazil?

Living Lab Biobased Brasil é uma cooperação modelo 'triple-helix' entre Brasil e Holanda, focado em educação e pesquisa aplicada na área de bio-economia. O foco é na inovação aberta em química, economia e sociedade 'biobased'. Living Lab é uma plataforma de educação e pesquisa aplicada onde estudantes, professores e pesquisadores de diversas universidades brasileiras e holandesas trabalham em conjunto com o objetivo de achar soluções para problemas reais. 

Com foco em quatro temas (Tecnologia da Água, Agro & Food, Química Verde, Ambiente Sustentável), o projeto é ligado às áreas de Engenharia Sanitária e Química e envolve, além das universidades holandesas, a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Universidade Federal de Viçosa (UFV) e a PUC Minas.

O Living Lab Biobased Brazil propõe a utilização de resíduos da agricultura, indústria de alimentos e domésticos para outras aplicações. No projeto, a biomassa originada desses resíduos gera produtos químicos, combustíveis, plásticos, energia e alimentos.

Mais informações sobre o Living Lab podem ser encontradas no site do projeto.

 


 



última modificação 2016-11-17 00:31